PARANAPIACABA

PARANAPIACABA
Vila Ferroviária de Paranapiacaba

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

LAZER 2 - PARANAPIACABA: LUGAR DE VER O MAR, LUGAR DE VER A VIDA

AMIGOS,

AMANTES DA FERROVIA...AMANTES DA VIDA.

EM 2004 FINALIZEI UMA PESQUISA COM VISTAS AO LEVANTAMENTO HISTÓRICO, ARQUITETÔNICO E PAISAGÍSTICO DA VILA DE PARANAPIACABA SOB ORIENTAÇÃO DA PROFESSORA DR.a. ROSA KULCSAR. o RESULTADO: MONOGRAFIA COM O TÍTULO DE "VILA FERROVIÁRIA DE PARANAPIACABA: DECADÊNCIA DO SISTEMA FUNICULAR E ASCENDÊNCIA DO SISTEMA CREMALHEIRA-ADERÊNCIA E AS IMPACTAS CONCEQUÊNCIASPARA A HISTÓRIA DA VILA".

O MATERIAL COMPLETO ESTÁ DEPOSITADO NA BIBLIOTECA DO MUSEU DE SANTO ANDRÉ OCTAVIANO A. GAIARSA - AV. SENADOR FLAQUER - CENTRO.

DIVIDIR COM VOCÊS PENSAMENTOS E IMAGENS DA VILA HISTÓRICA DE SANTO ANDRÉ.

HISTÓRIA

A Vila de Paranapiacaba é um núcleo urbano cuja origem e apogeu está associado à expansão da economia paulista, promovida em especial pelo café, que dos cafezais do Oeste Paulista tinha passagem obrigatória pela Vila até chegar ao porto de Santos e também a industrialização vivida pelo grande ABC com maiores expressões nas décadas de 1960 a 1980.
A decadência vivida no passado e os problemas que a Vila e a sua população viveram foram frutos de uma relação direta com a economia, em especial com as mudanças e descompassos do capitalismo brasileiro que nas últimas décadas marginalizou a ferrovia adotando novas tecnologias, promovendo uma nova configuração nos transportes, agora privilegiando as rodovias, reduzindo a necessidade de mão de obra, privilegiando as indústrias automobilísticas.
É evidente que a partir dessas mudanças, sobretudo pela encampação da ferrovia, passando a ficar sob domínio do Governo Federal, a partir de 1946, término do contrato de concessão dos ingleses sobre a ferrovia e a adoção do Sistema Cremalheira – Aderência, em 1974, provocaram impactos decisivos no cotidiano da Vila.
Com as modificações políticas e tecnológicas e a dispensa dos trabalhadores, vemos na década de 1980, o desfecho da história de uma Vila Ferroviária que abrigou famílias ao longo de gerações, um quadro infeliz agravado em 1981 quando o Sistema Funicular é desativado, e posteriormente o transporte de passageiro rumo ao litoral é marginalizado, colocando a Vila dependente do Sistema Funicular, e seus moradores, agora ex - ferroviários no abandono.
O programa de privatizações lançado pelo Governo Federal sobre as ferrovias em 1996 não despertou o interesse sobre a Vila, privilegiando apenas a linha da Cremalheira – Aderência, na transposição da Serra do Mar, priorizando os transportes de cargas, obedecendo ainda às imposições do capitalismo internacional, priorizando o setor de exportação.  Além do mais as mudanças forjaram aspecto de Vila dormitório, desfigurando a identidade da Vila, uma vez formada para abrigar ferroviários, em especial os operários do Sistema Funicular.
O cenário de abandono, descaso em relação ao patrimônio histórico e artístico, bem como a marginalização e a má administração do Governo Federal, foram substituídos por mudanças significativas, como o tombamento estadual, a compra da Vila pela prefeitura de Santo André, seguido pelo processo de tombamento, agora em âmbito nacional, apoiado por organismos internacionais de proteção ao patrimônio e ao meio ambiente, proporcionando o surgimento de uma nova identidade para Vila, desta vez turística, alimentando uma grande força que está resistindo à fragmentação a ao esquecimento.

FOTOS (em seguida seus créditos)








Créditos das fotos

Imagem 1. Estação do Alto da Serra em 1868. Santo André, Museu do Funicular – ABPF. 16 de junho de 2004.
Imagem 2. Vila Ferroviária de Paranapiacaba. Arquivo Pessoal. 2001.
Imagem 3. Tanque do Gustavo. Arquivo Pessoal, 2003.
Imagem 4. Vila de Paranapiacaba. parte baixa (Arqutetura Vitoriana século XIX) Arquivo MSAOAG, 2003.
Imagem 5. Locomotivas da MRS utilizando sistema Cremalheira Aderência. Arquivo Pessoal 2009.
Imagem 6. Vagão postal madeira RFFSA. Arquivo Pessoal 2003.
Imagem 5. Locomotiva Inglesa ABPF - Paranapiacaba - Locomotiva a vapor " Inglesa". Rating Views: 69. Arquivo Pessoal 2009. 

Visite a Vila

Museu do Sistema Funicular – ABPF
Associação Brasileira de Preservação Ferroviária
Largo dos Padeiros, s / nº. – Paranapiacaba – Santo André – SP.
Vila Velha – Parte Baixa.

Informações da prefeitura

Segue-se pela Rodovia Anchieta até o km 29 (Placa para Ribeirão Pires Próximo ao Posto da Policia Rodoviária), entrar a direita na SP 148(Estrada Velha de Santos), até o km 33, entrar a esquerda na Rodovia Índio Tibiriçá(SP 31), até o km 45,5 próximo ao terceiro posto de gasolina (POSTO SHELL) antes da ponte (ponte seca). Ao lado do posto Shell desça a rua a esquerda e vire a direita na Rodovia Ribeirão Pires Paranapiacaba(SP 122), e siga sempre em frente até a Vila de Paranapiacaba Parte Alta(Estacionamento).

OBS: A Vila de Paranapiacaba e constituída de duas partes, Vila baixa e Vila Alta, caso você queira ter acesso a parte alta da vila onde encontra-se o estacionamento siga pela Rodovia SP 122 (Rodovia Ribeirão Pires Paranapiacaba) até o final dela (Próximo ao Cemitério) , Caso você queria ter acesso a parte baixa da vila siga pela a SP 122 (Rodovia Ribeirão Pires Paranapiacaba) até Estação de Trem de Campo Grande entre a esquerda, atravessando os trilhos depois entre a direita seguindo pela estrada de terra até a Vila de Paranapiacaba, quando você passar pela torre onde está o relógio " Big Ben " entre a primiera direita próximo ao trem velho seguindo em frente, depois entre a direita até ao largo do Padeiros "Centro da Vila de Paranapiacaba".

Maiores informações.

 

Um comentário:

  1. Realmente é um lugar perfeito e maravilhoso, vale apena ir conhecer...

    ResponderExcluir